Menu

Cases

Transformando passivos ambientais em energia limpa e renovável

No cooperativismo, inovação e sustentabilidade andam de mão dadas. Em prol da geração de energia elétrica limpa e confiável, a Coopavel decidiu investir em um sistema de biodigestores capaz de transformar dejetos animais em eletricidade com valor mais acessível, gerada por fontes renováveis.

Com um único investimento em sua Unidade de Produção de Leitões (UPL), a cooperativa agregou valor à sua atividade e promoveu o saneamento ambiental da suinocultura. Além disso, reduziu os custos com energia elétrica e incentivou as boas práticas de sustentabilidade e proteção do meio ambiente.

O biodigestor é um equipamento fechado no qual ocorre a decomposição da matéria orgânica hidratada através da digestão anaeróbia, ou seja, na ausência de oxigênio, bactérias anaeróbias decompõem a matéria orgânica úmida presente no equipamento. Isso ocorre através de um processo de fermentação cujos principais produtos são o biogás e biofertilizante.

Os resíduos orgânicos utilizados no biodigestor podem ser os de produção vegetal (folhas, palhas, restos de cultura), de produção animal (como esterco e urina), de atividades humanas (fezes, urina, lixo doméstico) e resíduos industriais.
Inovação e exemplo

No caso da Coopavel, são utilizados os dejetos vindos da produção de porcos. O projeto foi implantado como uma referência de inovação para as suinoculturas parceiras que sofrem com a falta de energia elétrica e acumulam perdas de produtividade. O intuito é servir de modelo e fonte de informação para que os produtores invistam em sistemas similares preservando o meio ambiente, gerando a sua própria energia e transformando um passível ambiental em lucro.
Na Coopavel, o projeto gerou um rápido retorno financeiro: em 15 meses, a Unidade de Produção de Leitões registrou ganhos de produtividade e redução de perdas de animais que costumava ocorrer devido à constante falta de energia por parte da concessionária. Com a sustentabilidade energética da unidade, 51% da energia total consumida agora vem do sistema de biodigestão.

Até o momento, a cooperativa contabiliza 19 mil horas de geração de energia e 1.127.869 KWh gerados com o biogás. Os valores gerados com a produção do biogás chegam a R$ 600 mil.

MEIO AMBIENTE AGRADECE

Além da cooperativa, a comunidade é beneficiada pela redução na liberação de gases que são nocivos ao meio ambiente e a diminuição dos maus odores. Os cooperados têm à disposição informações que podem viabilizar a implantação de projetos semelhantes e a referência de um sistema que funciona plenamente.

Já os funcionários e colaboradores são beneficiados, principalmente, nos dias de falta de energia, pois a geração própria supre a demanda evitando que muitas tarefas automatizadas tivessem que ser realizadas manualmente.